Ética para crianças

Ética para crianças

Estamos vivendo no Brasil uma séria crise de moral e ética. Diariamente somos bombardeados com notícias de ações anti-éticas em todos os âmbitos possíveis, mas, principalmente na política. Mas não é só lá o problema. Basta prestarmos um pouco de atenção e veremos infinitos exemplos de “jeitinhos”, fura-fila, propinas, aproveitar o sinal, estacionar em local proibido, etc, etc, etc… Mas afinal, o que é ética e, muito importante: é possível ensinarmos ética para crianças?

A palavra “ética” vem do grego ethos e significa aquilo que pertence ao “bom costume”, “costume superior”, ou “portador de caráter”. Princípios universais, ações que acreditamos e não mudam independentemente do lugar onde estamos. 

Outro conceito de ética é “área da filosofia que estuda a moralidade, tais como os conceitos de bem e mal, nobre e ignóbil, certo e errado, justiça e virtude.”

Parece filosófico mas, na verdade, é muito simples. Todos temos algum senso do que é certo ou errado e, na dúvida, basta pensarmos como nos sentiríamos se determinada ação que cogitamos fazer fosse publicada em rede nacional. Se sentirmos constrangimento ou vergonha, então é errado. Não faça.

É o que ensinamos aqui em casa às meninas. Claro que estou simplificando, já que o objetivo é ensinar as crianças, mas acredito sinceramente que princípios de certo e errado, ética, moral e caráter são perfeitamente “ensináveis” com palavras e, principalmente, com exemplos.

Conto aqui então uma cena que aconteceu aqui em casa há poucos dias e que publiquei na fanpage das Passeadeiras no Facebook:

ética para crianças

– Mãe, não consegui responder essa questão do tema. Tu podes me ajudar?
– Sim filha, tu já leu a matéria?
– Li e não achei a resposta.
– Mas tu leu bem lido ou assim por cima? Se eu ler também não vou encontrar?
– Eu li mãe…e não encontrei.
– OK, deixa eu ver. … (procuro a resposta e encontro). Filha, a resposta está aqui (fecho o livro e passo para ela).
– Sério? Me diz então qual é?
– Não filha, ela tá aí. Leia de novo que tu vais encontrar.
– Mas será que tu não pode me ajudar um pouco? Eu tô te pedindo ajuda!!! (indignada)
– Posso filha, eu posso te ajudar sempre. Fazemos assim então. Eu te digo a resposta com uma condição: Tu escreves no livro que quem respondeu fui eu.
– (cara de horror) Claro que não né mãe!!! Eu não posso fazer isso!!
– Não pode porquê, filha? É a verdade, não é?
– Mas mãe, tu não pode fazer o tema por mim…
– Pois é, não posso. E mesmo sabendo disso tu me pediu…
– (Fecha a cara e sai indignada batendo os pés no chão). Caminha até a escada e pára.

Dá meia-volta e diz: “Mãe, quero te dizer uma coisa… tu tá me criando muito bem…”

Com dez anos de idade, Manoela já sabe identificar o que é certo e errado, mesmo que tente “atalhos” ou “caminhos mais fáceis”. Para mim também seria mais fácil dizer a ela onde estava a resposta ou ainda dizer qual era a resposta correta. Mas nem sempre o mais fácil é o correto, nem sempre o mais fácil é ético. E essa lição ela não vai esquecer mais.

Assista a esse vídeo, com Sérgio Cortella sendo entrevistado por Jô Soares, sobre ética e moral:

E você, o que pensa a respeito? Como ensina moral e ética para seus filhos?

___________________________________________________

Leia outras crônicas e reflexões sobre maternidade e filhos aqui.

___________________________________________________

Compartilhe este Post!

Sobre o Autor : Claudia Bins

11 comentários

  1. Fabiana Fontainha 20 de julho de 2016, 23:49 comentar

    Muito bacana a sua atitude perante o questionamento da sua filha. Eu acredito que são nas nossas ações e exemplos, no dia a dia, que mais ensinamos os nossos filhos sobre ética e valores. Beijos, Fabi

  2. Bárbara 20 de julho de 2016, 23:54 comentar

    Eu li esse seu depoimento no Facebook há alguns dias e achei o máximo. É assim mesmo que ensinamos para as crianças, vivendo. Bjs

  3. Chris Ferreira 21 de julho de 2016, 02:08 comentar

    Que máximo! Muito bacana a percepção da Manoela. Adorei a sua história com ela sobre a ajuda no trabalho de casa. Aqui eu sempre digo que se eu der a resposta não estou ajudando. Ajudando é orientar, apoiar, incentivar.
    Gosto muito do Mario Sergio Cortella. Já assisti algumas palestras dele em atividades de desenvolvimento no trabalho.
    beijos
    Chris

  4. Louise Furtado de Aguiar 21 de julho de 2016, 04:21 comentar

    Maravilhoso! Acho que princípio e ética devem ser ensinados desde cedo!

  5. Ana claudia 21 de julho de 2016, 12:11 comentar

    Excelente a dua postura. Realmente temos que ensinar e nos posicionar sobre as coisas, regras, certo e errado. Eles já sabem muitas coisas e as vezes falta só um exemplo para que tudo fique
    Mais claro para eles. Obrigada por compartilhar

  6. Michele Gobbato 21 de julho de 2016, 14:35 comentar

    Muito bom, aqui também faço igual a você deixo que ele pense e encontre a resposta.

    Bjs Mi Gobbato
    http://espacodasmamaes.blogspot.com.br

  7. Laís Sass 22 de julho de 2016, 01:49 comentar

    Amei o texto! Com certeza ética, princípio, respeito devem ser ensinados desde cedo aos pequenos. Claro que com exemplo eles aprendem bem mais. parabéns pelo texto!

  8. […] Leia artigo sobre Ética para Crianças aqui […]

  9. Laura 3 de agosto de 2016, 17:50 comentar

    Parabéns linda pelo seu post, acredito sim que nós somos responsáveis por muitas atitudes das crianças e tudo começa desde cedo, em casa com os pais.

    Beijos, Laura Carvalho
    http://www.maede2.com.b

    • Claudia Bins 3 de agosto de 2016, 21:36 comentar

      Obrigada Laura, achamos muito importante esse aprendizado desde cedo!

      Clau

  10. […] Ética para crianças […]

Deixe um comentário

Seu e-mail não será exibido.

error: Content is protected !!