Minha escolha

Minha escolha

Hoje estreia aqui no blog Rodrigo Araujo Campos, pai da Emily e Educador Físico. O Rodrigo tem uma história linda pra contar, já que cria a Emily, praticamente sozinho. É um caso de amor profundo e inspirador, que eu tenho muito orgulho de compartilhar aqui com vocês.

Minha escolha 

Primeiramente, meu nome é Rodrigo, sou Educador Físico, trabalho em uma academia e sou personal trainer. Tenho 39 anos, sou pai há quase 10 anos. Emily nasceu em outubro de 2006, e desde que nasceu é a minha maior alegria.

Claro que nem sempre é assim, mas isso fica para outro dia e faz parte da vida de pai. Aos três anos, eu e a mãe dela nos separamos, e não cabe a mim expor ou julgar, nem tão pouco justificar os motivos que levaram a isto. A palavra certa é Amadurecimento. E amadurecimento foi o que senti a partir do nascimento dela. Minha responsabilidade, minhas preocupações, meus cuidados para que ela ficasse sempre bem aumentaram e me fizeram ir adiante, em busca do melhor em todos os momentos.

Quando nos separamos tomei uma decisão, naquele momento, de sair de casa, que mudou todo o rumo da nossa história. Resolvi levar Emily comigo. Saí de casa com o carro lotado das minhas coisas, Emily e mais uma porção de coisas dela. Naquela hora sentia que se não fosse assim, a história não seria muito diferente do que é hoje. Emily sempre foi minha. Não fiz isso para repreender nem punir a mãe dela, apenas sabia que deixando Emily aos cuidados dela, eu continuaria sendo o mesmo pai dedicado, mas com o trabalho de levar e buscar maior ainda.

Fiz o certo ou errado? Hoje não tenho condições de visualizar, mas acredito estar no caminho certo. Tenho certeza que terei este feedback logo mais adiante. Sempre contei com a ajuda dos meus pais e família, alguns amigos e nos meus relacionamentos também tive apoio. Entre os que me conhecem e sabem da minha história sou admirado e tido como exemplo de pai. Aqueles que não me conhecem e ficam sabendo da minha história, se espantam ao saber.

Nunca quis este “troféu” de melhor pai. Na verdade o que fiz, ou o que faço, é apenas parte da referência que tive na minha família e do meu caráter. O ideal é que não precisasse ser desta forma, ou que fosse uma situação muito mais comum na nossa sociedade. Emily me ensinou muitas coisas e até hoje aprendo muito no dia a dia com ela. Com toda a certeza que tenho nestes meus quase 10 anos como pai, ela foi minha MELHOR ESCOLHA.

 

Rodrigo

Compartilhe este Post!

Sobre o Autor : Claudia Bins

30 comentários

  1. Mariane Bastos 15 de abril de 2016, 01:20 comentar

    Pai exemplar! Minha filha Maria Clara teve o privilégio de conviver com a Emily na escolinha e no colégio, é uma menina doce e especial. Parabéns ao Rodrigo, pai sempre presente e muito dedicado. Linda história! Beijos para vocês!

    • Rodrigo Campos 20 de abril de 2016, 21:35 comentar

      Mari e Maria Clara, queridas. A melhor parte do meu dia era sempre poder participar mesmo que por uns poucos minutos da entrada e/ou saída da escola da Emily. Ali eu conhecia seus colegas, professores, pais de colegas e podia conviver com esse momento feliz da Emily brincando com seus amigos.

  2. Letícia Araújo Oliveira Mendonça 15 de abril de 2016, 18:11 comentar

    Tive o prazer também de estar em contato com esse paizinho especial, trabalhei com o Rodrigo por quase um ano, acompanhei o inicio de vida da gatinha ainda na barriga da mamãe. Rodrigo Campos, paimae, sempre em primeiro lugar o amor a pequena dele. Sempre que conversamos sobre pais separados nosso primeiro exemplo, aquela exceção sabe, vem ele. É visivelmente feliz, são visivelmente felizes. Tua escolha, a melhor escolha Rodrigo. Linda história, maturidade. Ser homem, ser responsável, ser pai de verdade.

    • Rodrigo Campos 20 de abril de 2016, 21:37 comentar

      Obrigado Lê querida. Beijo grande pra vocês e esse lindão do Gabi.

  3. Fanny 18 de abril de 2016, 19:35 comentar

    Que lindo. Tão raro ver um pai lutando por cuidar, criar, educar uma criança sozinho. Pq sabemos o quanto eh dificil fazer isso já casado, compartilhando com nossos companheiros. Imagino que para um pai seja ainda mais difícil. Parabéns Ridrigo

    • Rodrigo Campos 20 de abril de 2016, 21:38 comentar

      Obrigado Fanny. Tenho muita ajuda dos meus pais. Incansáveis nesta jornada também. Sempre que preciso eles estão aqui para ajudar. E minha namorada também, hoje em dia, participa ativamente da nossa vida.

  4. Fabiana 19 de abril de 2016, 12:17 comentar

    Parabéns ao Rodrigo. Geralmente, nos casos de separação as crianças ficam com a mãe. Aos poucos essa realidade está mudando!

    • Rodrigo Campos 20 de abril de 2016, 21:42 comentar

      Esta deveria ser uma realidade. na verdade os pais separados deveriam sempre pensar nos filhos, evitando as brigas, desentendimentos, rancores. Os filhos não tem culpa nenhuma da separação, mas muitas vezes são usados para atingir o outro. O mais importante nisto tudo é o amor. Quem cuidará, ou terá a guarda é o que menos importa. Obrigado.

  5. Adriano Bisker 19 de abril de 2016, 13:26 comentar

    Gostei muito de conhecer a história do Rodrigo! Esta é uma geração de pais que vem mudando a concepção da paternidade, está de parabéns pela matéria!

    • Rodrigo Campos 20 de abril de 2016, 21:44 comentar

      Obrigado Adriano. Tento passar aqui um pouco do que sinto. Sinta-se a vontade para sugerir, trocar ideias, enfim, participar deste espaço.

  6. Luciana Emely 19 de abril de 2016, 13:55 comentar

    Que historia linda… Parabéns pela sua dedicação e amor à sua pequena!!!! Tenho certeza de que ela sempre o verá como o melhor pai do mundo. Fiquei muito feliz por você e pela sua dedicação.

    • Rodrigo Campos 20 de abril de 2016, 21:59 comentar

      Obrigado Luciana. Isso tudo é base da referência que tive dos meus pais, família e amigos.

  7. Deia Tomaz 20 de abril de 2016, 13:11 comentar

    Que lindo Rodrigo! Tb sou filha de pais separados… E tb fiquei com meu pai. Pode imaginar isso ha 30 anos atras? As pessoas nao entendiam isso… nao entendem ate hoje… Questionavam e questionam muito. Mas eu sei q foi a melhor escolha! Amo meu pai. Sei q nem tudo foram flores nessa trajetoria, mas sou eternamente grata ao meu pai por ter me abraçado e me levado com ele. Ele é meu grande herói!
    Va em frente e parabens pela decisão! Poucos sao fortes o suficiente pra isso!

    Deia Tomaz – http://www.lancheiradojoao.com

    • Rodrigo Campos 20 de abril de 2016, 22:03 comentar

      Bah, legal saber disso Deia. Legal saber que não estou sozinho, que não fiz errado, que há esperança, que tudo pode dar certo. Como eu disse anteriormente, o que importa é o amor, quem cuida ou quem cria, se tiver amor, fará do jeito certo. Obrigado.

  8. Alê Nunes 20 de abril de 2016, 17:54 comentar

    Vemos tantas histórias de pais, que não assumem realmente sua paternidade, que é muito bom quando se vê um pai que tem esse sentimento forte assim. Parabéns!
    Alê
    http://www.dafertilidadeamaternidade.com.br/

    • Rodrigo Campos 20 de abril de 2016, 22:05 comentar

      Obrigado Alê, tudo por amor sempre vale a pena.

  9. Pauleni Gomes 20 de abril de 2016, 21:49 comentar

    Bela atitude, historia fantástica. Pais assumirem seus filhos, esse é o mundo atual que sempre deveríamos ter. Bjs

  10. @caroleassinhazinhas 21 de abril de 2016, 17:20 comentar

    Bacana! Hoje em dia é isso mesmo! Pais, mães, os dois juntos, o importante é criar e educar os filhos com muito amor!

  11. Michele Gobbato 22 de abril de 2016, 12:55 comentar

    Adorei saber, acredito que tenham muitos pais assim como ele, porém não vemos muito, e parabéns para ele que independete do que aconteceu entre marido e esposa ele seja esse pai maravilhoso para ele que demonstrou no post e comentários

    Bjs Mi Gobbato – Espaço das Mamães

  12. Mariana Ferreira 22 de abril de 2016, 19:38 comentar

    Adorei conhecer a história do Rodrigo, adorei sua atitude de enfrentar a situação.. bj

  13. Nicácio Belfort 22 de abril de 2016, 20:30 comentar

    Parabéns Rodrigo, um exemplo de papai, continue assim 😉

  14. Jacky lima 22 de abril de 2016, 21:23 comentar

    Nossa que pai bacana! Adoro ver histórias como essa!

  15. Tatiane Lopes 23 de abril de 2016, 00:35 comentar

    Linda história! eu fui criada pelo meu pai e depois madrasta, mas meu pai assumiu o papel com muito orgulho! vc vai sim ter o retorno em breve!

  16. Juliana Carreras 23 de abril de 2016, 18:03 comentar

    Família é realmente a base de tudo que seremos na vida! Parabéns pelo depoimento e pela atitude!

  17. Mariana 24 de abril de 2016, 22:34 comentar

    Parabéns Rodrigo é tao dificil ver um pai assim totalmente dedicado a ser realmente pai.
    Mari
    Vamosmamaes.blogspot. com.br

  18. Marcelle Tabosa 25 de abril de 2016, 00:19 comentar

    Rodrigo arrasou muito! Felizmente estamos vivendo numa época onde os pais são participativos. Quando a educação recebida pela casal é muito diferente, é preciso fazer uns ajustes, mas a cada dia temos mais e mais exemplos como o dele! Parabéns!

  19. Tatiane Gallas 25 de abril de 2016, 00:29 comentar

    É muito bom ver país fixarem com os filhos! Tenho um exemplo assim na minha família.
    A recompensa é grande! Parabéns Rodrigo!

  20. gabriella siqueira barreto 25 de abril de 2016, 01:35 comentar

    Linda essa história! Hoje em dia é muito comum ver a “mãe” ficando com a criança sempre em casos de divórcio e até mesmo quando são casados, muitos pais deixam de exercer seu papel por algum motivo. Muito bonita essa história desse pai guerreiro e presente!

  21. Louise 25 de abril de 2016, 03:28 comentar

    Linda história. Parabéns ao Rodrigo, por cumprir com excelência o papel da paternidade!

  22. Marta Gomis 25 de abril de 2016, 12:15 comentar

    Que bacana sua atitude, se vcs 3 estão feliz com essa decisao não cabe a nunguem julgar de ficar com pai ou mae é melhor ou pior. na verdade quem tem mesmo que estar e ser feliz é a Emily

Deixe um comentário

Seu e-mail não será exibido.

error: Content is protected !!