Paraty centro histórico

Paraty Centro histórico

A palavra Paraty, que dá nome a pequena cidade ao sul do estado do Rio de Janeiro, vem do tupi parati’y e, segundo ouvimos na cidade significa “rio dos paratis”, uma espécie de peixe comum na região.  Por volta de 1502, Américo Vespúcio escreveu, ao aportar em Paraty Oh Deus, se na terra existisse um paraíso, não seria muito longe daqui! Por ocasião de nossa visita pudemos comprovar o encantamento do gajo…

Visitamos Paraty por uma semana nas férias de julho e contei aqui sobre as razões, o planejamento, os custos e aqui sobre nossa hospedagem. Hoje vou contar sobre o centro histórico da cidade e o City Tour que fiz e recomendo muito. 

Paraty Centro Histórico

Casario típico de Paraty

Mesmo tendo lido e pesquisado bastante, como sempre faço antes das viagens, percorrer as ruas, visitar os locais aprendendo suas histórias é uma das partes que mais me encantaram. Eu recomendo fortemente que todos os visitantes façam o city tour em Paraty nos primeiros dias. Assim, vocês terão outra visão sobre a cidade. Falo isso porque fiz o meu no último dia e percebi o quanto eu deixei de perceber ao passear pela cidade sem ter as informações. Com as informações do guia, é como voltar no tempo e reviver a época colonial, imaginando o vilarejo em seus tempos áureos.

Existem várias operadoras na cidade e eu recomendo a MB Tours e a Paraty Tours. As pousadas tem parcerias com as operadoras e você pode agendar lá ou diretamente com as operadoras que tem escritórios no centro histórico. Um passeio pelas ruas e você vai encontrá-las facilmente. Eu paguei 25,00 para fazer o city tour que durou cerca de 2 horas.

Paraty Centro Histórico

Igreja Nossa Sra. das Dores

 Paraty foi sede do mais importante porto exportador de ouro e pedras semi preciosas do Brasil durante o período colonial (1530-1815) e era parte de Angra dos Reis até 1844. Os primeiros habitantes eram índios e os portugueses lá chegaram no século XVI, mas o registro mais antigo de povoamento se deu por volta de 1630. A partir dali, os portugueses utilizaram um antigo caminho feito pelos índios, o chamado caminho do ouro, que percorria a serra do mar em direção as Minas Gerais para o transporte  do ouro e de suprimentos desde e para o porto de Paraty.

Segundo nosso guia, apesar da grande importância econômica do local, Paraty nunca sofreu ataques piratas. A pequena cidade era muito bem protegida por fortificações erguidas pelos portugueses, nas ilhas que rodeiam a baía e também na cidade. Hoje em dia só permanece na cidade uma dessas fortificações, o Forte Defensor Perpétuo, que fica localizado no morro à esquerda, quem olha para o mar. O city tour não leva até o forte mas você mesmo pode ir, à pé, desde o centro da cidade. Basta atravessar a ponte sobre o rio Perequê-Açu e seguir em frente. Passe a praça de táxi que fica à esquerda e siga em direção ao morro. Suba a rua e vire á direita. À sua esquerda encontrará um totem indicando que ali é um monumento histórico. Siga em frente, subindo por um caminho amplo e arborizado, até chegar ao forte. Se for de carro, na rua mesmo tem lugar para estacionar. A entrada é gratuita e além do prédio histórico, dos canhões e muros centenários, oferece uma vista linda da baía.

Paraty Centro Histórico

Entrando no forte Defensor Perpétuo

Paraty Centro Histórico

No prédio tem um pequeno museu com artigos indígenas

Paraty Centro Histórico

Apesar de nunca ter sofrido ataque pirata, Paraty foi erguida com intenção de defesa. Suas ruas são curvas, dando a sensação de labirinto e, por conta disso não é possível avistar o final da cidade quando a olhamos dos extremos. Assim ninguém que não a conhecesse saberia do seu tamanho logo ao chegar.

Paraty Centro Histórico

As ruas de Paraty

Paraty Centro Histórico

A famosa rua da corrente (Rua da Lapa)

Algumas casas ainda possuem seteiras (buracos na parede para defesa) e a casa mais alta da cidade tinha vista para o forte, no morro e também para o porto, servindo de ponto de comunicação para o caso de problemas.

Paraty Centro Histórico

Seteiras nas casas de Paraty

Paraty Centro Histórico

A antiga loja maçônica era a casa mais alta da cidade

Como curiosidade, em 1711 o corsário Francês Dugau-Touin saqueou a cidade do Rio de Janeiro, a mando do Rei Luiz XIV, com uma frota de 15 navios de guerra. Exigiu um resgate milionário que, se não fosse pago, prometia incendiar a cidade. O tal resgate foi enviado desde Paraty pelo Capitão Francisco Amaral Gurgel.

Paraty Centro Histórico

Aberturas nos muros permitem a entrada da água do mar para limpar as ruas

Por estar localizada quase ao nível do mar, a cidade foi projetada levando em conta o fluxo das marés e com aberturas estrategicamente posicionadas que permitem, até hoje, a entrada das águas nos primeiros quarteirões da cidade. Como resultado, algumas de suas ruas são periodicamente inundadas pela maré. Antigamente não havia rede de esgotos e todos os detritos domésticos eram jogados pelas janelas, tornando o vilarejo fétido e sujo. Os construtores, inteligentemente, usaram as marés para fazer o serviço pesado de limpeza urbana. Mas só para os mais abastados, que moravam nas primeiras quadras perto do mar. Para ver o resultado, você deve perguntar o horário da maré alta (normalmente entre 4 e 5 da tarde) e a melhor época é na lua cheia, quando a maré sobe mesmo, alagando as ruas completamente durante esses horários. Nós só conseguimos ver um pouco de água entrando lentamente pelas aberturas.

Paraty Centro Histórico

Pedra grandes no piso da Igreja Matriz

Paraty Centro Histórico

Granito e minério de ferro compõe o calçamento das ruas

As famosas ruas de pedra do centro histórico não foram sempre assim. Segundo nosso guia, em seus tempos áureos, eram pedras de granito enormes oriundas da Serra do Mar, cortadas e encaixadas de forma a deixar a cidade plana e fácil de andar, bem diferente de como é hoje. Ainda é possível ver essas pedras na frente da Igreja Matriz e também na Praça em frente à mesma igreja. Na época do império, as pedras foram quebradas e retiradas, para colocação da rede cloacal. Algumas foram substituídas por minério de ferro (as mais escuras). Ocorre que sendo área tropical, com rios e muita vegetação, havia malária e outras doenças transmitidas por mosquitos. O minério de ferro aquecia durante o dia, matando assim as larvas e auxiliando na prevenção das doenças. Espertos não é?

Paraty Centro histórico

O muro à esquerda guardava o pátio das casas mais abastadas

Paraty Centro Histórico

As pinturas indicam que ali eram 3 portas originalmente

A cidade passou por altos e baixos até o início do ciclo do café, com a vinda da família imperial para o Brasil, quando então passou por um período áureo de desenvolvimento econômico. A mando do Rei outra estrada foi construída, esta pavimentada com pedras, encurtando o caminho entre Paraty e Minas Gerais. A casas eram em sua maioria estabelecimentos comerciais, com portas ao invés de janelas (hoje algumas são pintadas como referência para mostrar como era). Os habitantes mais abastados moravam em sobrados, sendo que o andar térreo era o comércio e o andar superior, a moradia e esses também tinham terrenos atrás da casa onde criavam galinhas, porcos e vacas além do pomar e horta para consumo próprio.

paraty centro histórico

Os sobrados da Praça da Matriz

Todo o ferro, vidro e artigos manufaturados vinham de Portugal ou da França e eram caríssimos. Assim, somente os muito abastados tinham acesso. A cidade era fortificada mas hoje em dia não existem mais os muros altos que a protegiam. Ainda existe o prédio onde funcionava o mercado de escravos, ao lado da Igreja Santa Rita dos Pardos, do ano de 1722 ( o cartão postal de Paraty). A antiga e icônica igreja funciona hoje como Museu de Arte Sacra. Além dessa, a cidade tem outras 3 igrejas: a Igreja Matriz de Nossa Senhora dos Remédios, a maior e mais moderna, mas que foi reconstruída várias vezes, a Igreja de Nossa Senhora do Rosário e de São Benedito que remetem ao ano de 1725 e ainda a pequena igreja de Nossa Senhora das Dores. Hoje somente a igreja Matriz é aberta. As outras somente em festas e ocasiões especiais.

Paraty Centro Histórico

A Igreja da Matriz

Paraty Centro Histórico

Igreja Nossa Senhora do Rosário e de São Benedito, na Rua do Comércio

Quando tornou-se vila, a cidade tinha cadeia, pelourinho e câmara (prefeitura) e os prédios estão ali até hoje, no coração da cidade.

Paraty Centro Histórico

O antigo pelourinho ficava atrás deste muro.

A antiga “rua das moças” era facilmente avistada desde o porto, com tochas na entrada para deixar bem claro aos marinheiros o caminho a seguir (daí o nome Rua do Fogo).

Paraty Centro Histórico

Rua do Fogo

A cidade toda tem forte influência da maçonaria e, segundo nosso guia, vários símbolos são visíveis até hoje. A grande loja era a maior casa da cidade, com símbolos geométricos na fachada e arte em ferro na sacada. Além disso tinha o terceiro andar que funcionava como torre de observação e as portas pintadas das cores da maçonaria inglesa e francesa (azul hortênsia e vermelho), esta última com a flor de lis. Existem outras casas com referências maçônicas espalhadas pelo centro histórico. A fachada pintada com símbolos geométricos é uma das maneiras de identificá-las.

Paraty Centro Histórico

Casa com referência maçônica e com os abacaxis em ferro indicando que ali morava um nobre

Alguns moradores da cidade tornaram-se nobres e pode-se observar a distinção nas sacadas dos sobrados (os abacaxis de metal indicam nobreza) e a família real brasileira é dona de uma das primeiras casas a partir do mar (local muito privilegiado), quase ao lado da igreja das Dores. Podemos ver o brasão real na fachada. 

Paraty Centro Histórico

Casa da família real

Paraty centro histórico

O Brasão Real

Paraty passou por cerca de 100 anos de declínio econômico, quando foi construída a estrada de ferro ligando Rio a São Paulo no final do século XIX deixando a cidade às moscas por quase 100 anos. O abandono, no entanto, foi também responsável pela preservação dos prédios e da arquitetura histórica, sendo que por volta de 1940 a cidade foi tombada pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional e, em 1970 quando foi inaugurada a estrada Rio-Santos deu-se o início ao ciclo do turismo, vigente até hoje.

Sabia que existem mais de 60 ilhas e 90 praias em Paraty? A praia da cidade é acessível pelo calçadão do rio Perequê-Açu e tem estacionamento e restaurantes. No pier existem um sem número de embarcações que levam os turistas para passear pelas ilhas da região e você pode tratar diretamente com eles ou então agendar um passeio através das operadoras e agências. 

paraty centro histórico

As Passeadeiras em frente a Igreja Santa Rita dos Pardos

No próximo post contarei sobre os passeios que fizemos, de escuna pela baía de Paraty e também de jipe, pela Serra da Bocaina. Em uma palavra: Sensacional.

Leia todos os posts sobre nossa viagem a Paraty aqui

Leia aqui sobre a Pousada das Andorinhas, onde ficamos hospedados

Férias em Paraty (Planejamento, custos e dicas de como chegar)

Passeio de jeep em Paraty

Passeio de escuna em Paraty

Parque Temático Mini Estrada Real

 _____________________________________________
 
Se você curte o blog e quer ajudar para que possamos continuar fornecendo informações e dicas bacanas de passeios por aí, clique no banner localizado na lateral direita dessa página ou clique abaixo:

Reservando seu hotel através da nossa página você não paga nada a mais por isso, tem a garantia de menor preço do Booking.com e nós ganhamos uma pequena comissão.

Compartilhe este Post!

Sobre o Autor : Claudia Bins

26 comentários

  1. Melissa Lima 15 de agosto de 2016, 20:00 comentar

    Gente, que fofura de post. Estou encantada! E chateada por nao ter tido a oportunidade de conhecer Paraty quando morava aí. Se eu voltar vai estar na minha wish list. E parabéns pelas fotos….. Incríveis!

    • Claudia Bins 15 de agosto de 2016, 20:21 comentar

      Obrigada Melissa, foi uma delícia!

      Clau

  2. Fabiana 15 de agosto de 2016, 20:20 comentar

    Comemorei meu primeiro dia das mães em Paraty! Amamentei e troquei Pedro dentro da igreja matriz. Passamos só um dia passeando, mas quero voltar e contratar um guia. Como você falou faz toda diferença!

  3. Liliane Inglez 15 de agosto de 2016, 20:27 comentar

    Claudia, adorei lembrar de Paraty… uma das minhas cidades favoritas! Mas não fiz tour guiado… todas as vezes que fui, fiquei andando mole mesmo… rs
    Lindo seu post! Amei e acho que quero fazer um tour guiado da próxima vez! abraços!

  4. fanny Carpentieri 15 de agosto de 2016, 22:39 comentar

    Adorei conhecer mais um pouquinho da história de Paraty! Moro aqui no Rio! Sou carioca e não conheço essa cidade incrível! Amei as fotos e os fatos históricos! beijos

  5. Tania 15 de agosto de 2016, 23:22 comentar

    Que lugar mais lindo, um dia ainda irei conhecer!!

  6. @caroleassinhazinhas 16 de agosto de 2016, 10:44 comentar

    Cidade deliciosa!

  7. Simone Hara 16 de agosto de 2016, 11:51 comentar

    Já fiz um bate e volta de Caragua pra Paraty, mas como a gente estava em turma, todos preferiram percorrer as praias, mas uma espichada de olhos já me fez ver que a cidade é muito fofa! Agora lendo teu post me deu muita vontade de voltar e explorar!

  8. Pauleni Gomes 16 de agosto de 2016, 19:32 comentar

    Conheci Parati e.realmente é muito lindo e muito rica culturalmente. Agora preciso levar os meninos para conhecer.

    @nossasaogemeos

  9. Adriano Bisker 16 de agosto de 2016, 19:50 comentar

    Esta cidade histórica é mágica para mim!
    Me recordo a primeira vez, quando ainda criança fui com a minha escola..
    E de todas as outras vezes que voltei, sempre descobrindo novos cantos charmosos, restaurantes, pousadinhas,,, Ah como amo este lugar e vendo estas fotos me voltou todos estes bons momentos! Obrigado!

  10. Luciana Emely 17 de agosto de 2016, 14:49 comentar

    Que lugar lindo e que morro de vontade de conhecer. Um dia, ainda quero ir até ai. Beijos

  11. Katy Gutterres - @madame.amelia 17 de agosto de 2016, 23:22 comentar

    Adorei as fotos…
    Amo cidades históricas!!! Tenho muita vontade de conhecer Paraty… Alguns familiares meus já foram e amaram!!!

  12. Mãe de Guri & Guria 19 de agosto de 2016, 03:57 comentar

    Que passeio lindo Cláudia! Paraty me lembrou um pouco de Ouro Preto. Acho incrível essas histórias históricas. Adorei as fotos, lindas! Bjo

    • Claudia Bins 19 de agosto de 2016, 13:59 comentar

      Verdade, a mesma arquitetura colonial de Ouro Preto. Realmente é uma viagem encantadora!

      Beijos

  13. Mila 19 de agosto de 2016, 19:16 comentar

    Esse lugar é maravilhoso né? Tão lindo!

    Beijos Mila (@mundodamae)

  14. Jacky lima 21 de agosto de 2016, 18:42 comentar

    Nossa que saudades de Paraty ia muito quando morava no Rio!

  15. Deia Tomaz 22 de agosto de 2016, 11:41 comentar

    Que saudade…
    Ia muito a Paraty por conta da Flip, mas desde que o João nasceu nunca mais voltei…
    O lugar é lindo e vc respira historia nessa cidade!!
    Belo post!

  16. Alê Nunes 22 de agosto de 2016, 12:05 comentar

    Muito linda Paraty, ainda não conheço, mas com esse post deu vontade :)

    bjs,
    Alê
    http://www.dafertilidadeamaternidade.com.br/

  17. Mariana Ferreira 22 de agosto de 2016, 22:14 comentar

    Passamos esse ano novo em Paraty eu amo esse lugar sempre vamos passear aí… Beijos

  18. Louise 24 de agosto de 2016, 06:08 comentar

    Paraty é maravilhoso e encantador para todas as idades, amo esse lugar mágico!

  19. Michele Gobbato 26 de agosto de 2016, 01:00 comentar

    Que delícia de passeio, adorei conhecer um pouco mais sobre o lugar

    Bjs Mi Gobbato
    http://espacodasmamaes.blogspot.com.br/

  20. […] pousada onde nos hospedamos fica localizada a 15 minutos de caminhada do centro histórico de Paraty, a duas quadras do rio Perequê-Açu e bem próxima a vários restaurantes, padarias, postos de […]

  21. […] escuna em Paraty   City Tour: Passeio guiado pelo Centro Histórico de Paraty, igrejas e praças; Leia aqui como foi nosso passeio no Centro Histórico em Paraty   […]

  22. […] foi o nosso passeio de jeep em Paraty   Leia aqui como foi o nosso passeio de escuna em Paraty   Leia aqui como foi nosso passeio no Centro Histórico em Paraty     Leia aqui sobre a Pousada Recanto das Andorinhas, onde nos hospedamos em Paraty   Veja aqui […]

  23. […] O passeio começa em frente a um grande mapa, onde o guia, super simpático, explica as origens do Caminho do Ouro e da famosa Estrada Real. Explica que Estrada Real era qualquer estrada que o Rei mandava abrir, mas acabou ficando o nome. Disse que o certo mesmo, é chamar aquela estrada que liga Paraty a Ouro Preto de Caminho do Ouro. Contou também que a estrada havia sido criada no século XVII para agilizar o transporte do ouro e diamantes entre as Minas Gerais e Paraty, já que o caminho existente era muito longo e penoso, através da serra do mar. O novo caminho, com 1600 km, encurtou a distância e permitiu à coroa fiscalizar melhor as cargas a fim de garantir seu quinhão. Paraty era o porto de onde saía a carga à caminho de Portugal, como contamos neste post aqui. […]

  24. […] pães de queijo e a família foi para a pousada, enquanto eu fiquei para fazer o City Tour que contei aqui. Mais um dia cheio e lindo na cidade que nos conquistou de todas as formas possíveis. Quero muito […]

Deixe um comentário

Seu e-mail não será exibido.

error: Content is protected !!