Malta com as amigas

Minha primeira vez em Malta foi com a família, em fevereiro de 2020, pouco antes do lockdown. Fomos passar uma semana nas férias do carnaval e, pouco depois da nossa volta veio o lockdown e a pandemia. Nós amamos Malta, tanto que resolvi voltar, mas desta vez em companhia diferente. Visitei Malta com as amigas queridas que fazem parte da minha vida há quase 40 anos, e no post de hoje eu conto como foi! Ficamos 7 dias em Malta e, depois, Gio e eu fomos ao Porto, onde ficamos mais 3 dias.

 

Nós em Malta em Fevereiro de 2020

 

Leia aqui o post da nossa primeira viagem à Malta

 

Antes de contar da viagem, quero dividir aqui o quanto estas viagens com amigas fazem bem ao meu coração… é uma renovação da alma, um respiro do dia-a-dia de uma forma completamente diferente de qualquer outra. Entre nós há tanto amor e cumplicidade, uma história linda de vidas que se uniram e compartilharam momentos e sentimentos, independente de tempo ou espaço. É como ingressar em uma realidade paralela por alguns dias, onde não há nada além de coisas boas. Pensem em uma sinergia completa de amor e amizade, sem espaço para nada além do que boas conversas, muitas risadas e um carinho sem fim… só posso agradecer ao universo por ter pessoas assim na minha vida, a quem tenho o maior orgulho de chamar de amigas. São minhas irmãs e alma, pessoas que eu sei que posso contar e que movo montanhas caso precisem de mim. Cada uma mora em um país (Portugal, Brasil e Estados Unidos) e, sempre que possível, nos encontramos e é como se fosse ontem a última vez… Mas chega de conversa e vamos a isso!

 

Reencontro com minhas besties 🙂 em 2024

 

Malta com as amigas

O encontro

Minha amiga Gio estava em Londres, a trabalho e chegou um dia antes em Lisboa. Ela optou por ficar hospedada no Moxy Lisbon City, que foi ótima base para a Lu, que chegou no sábado pela manhã (nosso voo era à tardinha no sábado mesmo). O Moxy é um hotel moderninho, low cost, muito bem localizado em Lisboa, pertinho do Parque Eduardo VII e da Praça do Marquês do Pombal. Busquei a Lu no aeroporto, fomos ao hotel para ela tomar um banho e relaxar um pouco e, depois, deixamos as malas no hotel e fomos almoçar no El Corte Inglês, para fazer hora até irmos para o aeroporto. Nosso voo acabou atrasando 2:30! Mas deu tudo certo…

 

Moxy Lisbon – Hotel BBB em Lisboa

 

Além de contar os detalhes da viagem, vou deixar um resumo sobre o país, do roteiro e também informações mais práticas como hotéis, locação de veículos, etc.

 

Malta: Google Maps

 

Onde fica Malta

Malta é um arquipélago que fica entre o sul da Itália (Sícilia) e o norte do continente Africano. Com uma história milenar, já foi ocupado por diversos povos devido à sua localização estratégica entre os continentes. Lá estiveram os fenícios, árabes, gregos, romanos, espanhóis, franceses, italianos, e por último os britânicos, carregando por isso uma grande mistura de influências. 

 

Voamos pela Easyjet direto Lisboa-Malta

 

Malta, como ir

Nós compramos um voo direto de Lisboa à Malta pela Ryanair, ida e volta, com direito à mala de cabine e acesso prioritário por 139,56€, em novembro de 2023. Compramos diretamente no site da Ryanair. Lu, minha amiga que mora no Brasil não conseguiu comprar por lá, então eu comprei para ela aqui de Cascais mesmo. Confesso que não sei se foi um problema pontual ou se não é possível mesmo comprar passagens pela Ryanair desde o Brasil. Se você sabe, deixe nos comentários, por favor! 😉

 

Um pouco de Malta

 

O que saber antes de ir

Malta é o 10º menor país do mundo, com cerca de 400.000 habitantes. É um arquipélago formado por 3 ilhas principais (Malta, Gozo e Comino) e outras bem pequeninas, localizado no mar mediterrâneo, a cerca de 90 km da costa da Sicília, na Itália.

Malta faz parte da Comunidade Européia, adotou o euro como moeda e a direção inglesa, no trânsito. Isso porque foi colônia britânica durante alguns anos, até 1964.

Capital da Cultura em 2018, Malta vem apostando forte no turismo. Além disso é um ótimo destino para quem quer estudar inglês, já que é a segunda língua oficial do país (a primeira é o Maltês, a única língua de origem árabe com caracteres romanos). Todos falam inglês e existem inúmeras agências de intercâmbio por lá. O italiano é também muito falado. Aliás, a influência italiana é imensa.

Sobre o clima, Malta é bastante quente no verão, como era de se esperar de um país mediterrânico. Eu fui em Fevereiro e em Março e, das duas vezes o clima foi ameno, com alguns dias mais quentes e noites mais frescas. No geral, um casaco do tipo acolchoado, jaqueta jeans, pashminas, malhas e camisetas de manga curta e de manga longa dão conta do recado. Imprescindível tênis e sapatos confortáveis para caminhar e não aconselho sapatos brancos devido à terra alaranjada típica do lugar. Não choveu em nenhuma das vezes que lá estive.

Eu considero que ter um carro alugado em Malta é a melhor forma de se locomover por lá. Existe sim transporte público mas pelo que ouvi de amigas que foram assim, é demorado e na alta temporada é bem lotado. Algumas deslocações podem ser feitas de Ferry Boat, dependendo de onde você está e para onde quer ir. Nós, por exemplo, fomos de Ferry Boat de Sliema à Valleta e foi ótimo, sem nenhum estress para estacionar e ainda com direito a lindas vistas da cidade. A única coisa à ressaltar é a mão inglesa, que pode ser complicada da primeira vez, mas garanto que não é nenhum bicho de 7 cabeças e logo, logo a gente acostuma.

 

Vagas “brancas” em Malta

Sobre estacionamentos:

Precisa cuidar se é parquímetro ou não e é preciso saber que quando a vaga está pintada de branco você pode estacionar (pode ou não ter parquímetro), mas se a vaga estiver pintada de amarelo ou azul não pode estacionar (somente os casos especiais). Na maioria das atrações afastadas dos centros urbanos o estacionamento é gratuito.

 

Tomadas modelo inglês em Malta

Sobre tomadas:

É bom saber que as tomadas em Malta seguem o padrão inglês de 3 pinos, então é bom você ter um adaptador. No nosso hotel havia vários pontos de carregamento USB padrão(se você tem iPhone precisa ter o adaptador também.

 

 

Ordem de Malta

 

A Ordem de Malta

A Ordem dos Cavaleiros de São João de Jerusalém, conhecida também como Ordem de Malta, é uma das mais antigas e respeitadas ordens religiosas e de cavalaria do mundo. Fundada no século XI, sua origem remonta ao trabalho de cuidar dos doentes e peregrinos na Terra Santa durante as Cruzadas.

A Ordem de Malta era formada principalmente por cavaleiros, mas também incluía outros membros como padres, irmãos e servos. Os cavaleiros eram geralmente nobres de origem europeia, jurando votos de pobreza, castidade e obediência, dedicando suas vidas ao serviço dos enfermos e da fé cristã. Seu símbolo é a Cruz de Malta, também conhecida como Cruz de São João e é caracterizada por oito pontas iguais dispostas em uma forma octogonal, com extremidades em forma de flecha.

Uma das características distintivas da Ordem de Malta era a divisão em “línguas”, que eram subdivisões baseadas na nacionalidade dos membros. Essas línguas originalmente representavam as principais áreas linguísticas dos cruzados: Provença, Auvergne, França, Itália, Aragão, Castela, Alemanha e Inglaterra. Posteriormente, novas línguas foram adicionadas para refletir a crescente diversidade geográfica dos membros da Ordem.

Cada “língua” tinha sua própria hierarquia interna, liderada por um grão-mestre, e era responsável por fornecer cavaleiros e recursos para os esforços da Ordem. Essa estrutura permitia uma organização eficaz e uma ampla base de apoio para as atividades da Ordem em todo o mundo.

Ao longo dos séculos, a Ordem de Malta evoluiu para além de suas origens militares e tornou-se uma importante instituição de caridade e assistência médica, mantendo ainda hoje uma presença global significativa em áreas como saúde, assistência humanitária e socorro em desastres.

 

Curiosidades de Malta: Os olhos de Osíris, as Balconies e a Cruz de Malta estilizada

 

10 curiosidades sobre Malta

  • 1. É um dos lugares mais isolados do Mediterrâneo, mas existem eviências que civilizações viveram em Malta desde o período neolítico de 5000 A.C. comprovadas pelos 11  Monumentos Megalíticos de Malta. As relíquias estão listadas como Patrimônio Mundial da Humanidade da UNESCO, e são consideradas algumas das estruturas independentes mais antigas da Terra.
  • 2. Devido à sua natureza deslumbrante, litoral belíssimo, artefatos e monumentos antigos, e arquitetura única, Malta foi usada como locação para diversas grandes produções de Hollywood, tais como Gladiador, Troia,Capitão Phillips e  “Game of Thrones”, entre outros.
  • 3. É um país sem montanhas, florestas ou rios. A água doce utilizada no país vem de poços profundos, chuva e de processos de dessalinização.
  • 4. Sua capital, Valletta, foi a primeira cidade planejada da Europa. Esboçada em 1565, durante a Ordem de São João de Jerusalém foi concluída em apenas 15 anos.
  • 5. No clássico A Odisseia, de Homero, a ilha de Gozo era a casa de Calypso, ninfa que aprisionou Ulisses, herói da guerra de Tróia e protagonista da obra. (a chamada Gruta de Calypso é uma atração em Gozo, mas encontra-se fechada por razões de segurança.
  • 6. É conhecida por suas “balconies”, sacadas de madeira coloridas .
  • 7. A ilha de Comino é a menor das três ilhas e tem apenas 4 residentes permanentes e 2 pequenos hotéis. Mas não é preciso dormir lá, fica a apenas 15 mins de barco de Gozo.
  • 8. Todas as igrejas em Malta têm dois relógios na sua fachada. O primeiro relógio marca a hora corretamente, enquanto o segundo relógio marca as horas de forma errada, para “confundir o diabo”. 
  • 9. Os tradicionais barcos de pesca malteses, coloridos e chamados Luzzu, trazem um Olho de Osíris desenhado em cada lado da proa. De acordo com os fenícios, os olhos de Osíris afastam os maus espíritos e trazem boa sorte aos pescadores. 
  • 10. O nome Malta vem da palavra grega μέλι /meli/ que significa ‘mel’.

 

Souvenirs de Malta

 

Souvenirs de Malta

Não costumo muito falar sobre comprinhas locais, mas acho que vale a pena partilhar algumas informações, já que, normalmente, gostamos de levar lembrancinhas para casa. Em Malta eu comprei Azeite, Mel, Sal aromatizado, pulseiras, porta-joia, sabonete e colar de filigrana. Vou contar aqui onde e quanto custaram os souvenires:

  1. Filigrana: Trabalho lindo, normalmente em prata, encontrado em quase todos os cantos a um preço muito acessível. Considero um dos melhores souvenires a trazer de Malta. No último dia visitamos um lugar chamado Ta’ Qali Craft Village, bem pertinho de Mdina, onde há diversas lojas vendendo os artigos, entre outros. Em uma delas, inclusive, pudemos presenciar um artesão fazendo as joias e foi encantador. Lá é possível comprar colar ou pulseiras com a cruz de malta e outras formas a partir de 10€. 
  2. Olhos de Osíris e Cruz de Malta: Um sem número de opções: pulseiras, colares, brincos, imãs de geladeira, toalhas, panos de prato, bolsas, … enfim, o que você quiser por preços a partir de 1,5€. Em qualquer lojinha ou na feirinha de Marsaxlokk.
  3. Azeite e Mel da ilha: Comprei na lojinha da entrada do Monumento Megalítico Ħaġar Qim e Mnajdra, junto com um porta-joias em gesso branco com a Cruz de Malta (lindo). Paguei 15€ tudo.
  4. Sal aromatizado: Em qualquer lojinha e na feirinha de Marsaxlokk a partir de 2€.
  5. Sabonetes e velas perfumadas: Na Ta’ Qali Craft Village há uma loja de sabonetes e velas maravilhosa, com produtos diferenciados, cheirosos e lindos. Vale muito a pena visitar. Produtos a partir de 2,5€. Eles tem também artesanato em vidro belíssimo e eu vi os produtos de lá em diversas lojinhas em Valleta (R. da República), Sliema e Gozo (Rabat e Cidadela).
  6. Cerâmica colorida: Com toda a sorte de desenhos, você encontra desde azulejos até objetos de enfeite para casa, na maioria das lojinhas de artesanato e feirinhas.

 

Dirigindo na mão inglesa em Malta

 

Chegando em Malta

Com o atraso do voo, chegamos em Malta depois das 2 da manhã. O voo é de 3 horas e Malta fica a uma hora a mais que Lisboa, por conta do fuso horário. Felizmente o guichê de aluguel de carro da Europcar, onde fizemos nossa reserva, estava aberto. Demorou bastante para finalizar o processo, mas finalmente pegamos nosso carro e fomos para o nosso hotel em Sliema. Pausa dramática para clembrar que, em Malta, a direção é inglesa, ou seja, pelo lado esquerdo da rua. Agora imaginem a aventura de chegar de madrugada, cansadas da espera e do voo e ainda dirigir ao contrário? Pois é, vida difícil essa de turista, não? 🙂

Quero dizer que deu tudo certo e chegamos ao hotel sem maiores sustos. Mérito da nossa driver, Gio!

 

 

 

Nosso hotel em Malta

Dividimos nossa estadia em 5 noites em Malta, mais precisamente em Sliema e 2 noites em Gozo. Em Malta ficamos hospedadas no charmoso 1926 Le Soleil Hotel & Spa, uma delicinha de hotel a poucos metros do mar e bem pertinho do Ferry para Valleta.

O hotel é muito confortável, não foi preciso pagar estacionamento nenhuma noite pois sempre havia lugar na rua mesmo em frente ao hotel (era baixa temporada!). Nossa diária não tinha café da manhã incluída mas optamos por pagar os 15€ cada, por dia, pois o buffet de café da manhã era muito bom e o restaurante muito confortável. Assim, na maioria dos dias fizemos um brunch no hotel, um lanche a tarde e um jantar nos passeios. No verão há um beach club e piscina exterior.

 

Outras opções de hospedagem em Malta

Urban Valley Resort & Spa – Nosso hotel da primeira visita. Confortável, com quartos familiares, estacionamento amplo em localização tranquila, a 11 km do aeroporto. Oferece shuttle gratuito até Valletta e outros serviços. Pontos positivos: preço, conforto, localização, café da manhã e serviços. Ponto negativo: peca um pouco na limpeza dos quartos. Nada exatamente ruim, mas poderia ser melhor.

Radisson Blu Resort & Spa – Localizado na Baía Dourada, a 10 minutos de carro do porto de onde os ferries partem para Gozo e pertinho da Vila do Popeye. Perfeito para quem quer conforto e praia, a 16 km do aeroporto. Quartos familiares e nota 9 no Booking.

D Townhouse Boutique Suites – Pequeno e charmoso Hotel Boutique em Sliema, ideal para casais mas aceita 1 cama extra mediante pedido. Nota 9,4 no Booking. Localização excepcional e bom preço. Nota 9,5 no Booking.

 

Malta com as amigas

 

Nosso roteiro em Malta

Vou deixar aqui o resumo e posts detalhados virão a seguir. Vale comentar que todos os restaurantes onde comemos foram ótimos (a única exceção foi em Mdina, chegamos tarde para almoçar e só havia pizza, que estava boa, mas nada demais). Os outros foram excelentes!

 

Dia 01: 

  • – Três cidades (Birgu, Cospicua e Senglea)
  • – Triq il-Wiesgħa Tower
  • – Salt Pans Triq Is Salini
  • – Saint Thomas Bay
  • – Marsaxlokk
  • – Pretty Bay
  • – Sliema (jantar no Felice Brasserie)

 

Clique aqui para ver o Post com todos os detalhes do Dia 01

Dia 02: 

  • – Blue Grotto
  • – St Peter’s Pool
  • – Marsaxlokk (voltamos por que tinha sol). Almoço no La Nostra Padrona)
  • – Saint Julian’s Tower
  • – Balluta Bay
  • – Saint Paul’s Bay
  • – Jantar no La Nave Bistro

Clique aqui para ler o post com todos os detalhes do Dia 02

 

Dia 03: 

  • – Valleta, a capital de Malta. Passamos o dia todo lá, percorrendo seus 0,8km2. Valleta merece um post exclusivo, mas adianto que fomos até lá de Ferry Boat, que pegamos em Sliema mesmo, a poucos metros do nosso hotel.
  • – Jantar no Aqualuna Malta, de volta à Sliema.

 

Clique aqui para ler o post com os detalhes do Dia 03

 

Dia 04:

  • Monumentos Megalíticos Ħaġar Qim e Mnajdra
  • Tentamos visitar o Blue Grotto de barco, mas as condições do vento impediram os barcos de sair
  • Mdina
  • Almoço no Fontanella Tea Garden em Mdina
  • Jantar em sliema no The Black Sheep

 

Clique aqui para ler o post com os detalhes do Dia 04

 

Dia 05:

  • – Checkout do hotel
  • – Popeye Village (view point)
  • – Melieha Bay
  • – St. Agatha’s Tower
  • – Paradise Bay – Ferry para Gozo
  • – Gozo
  • – Check in no The Segond Boutique Hotel
  • – Almoço no Bistro 23Four na St. George’s Square
  • – Passeio pela Cidadela
  • – Azzure Window
  • – Sunset Cliff
  • – Ta’ Pinu Basílica
  • – Jantar no Brookies

 

Clique aqui para ler o post sobre o dia 05

 

Dia 06:

  • – Ilha de Comino
  • – Almoço (maravilhoso) na Marina de Gozo no One80 Kitchen
  • – Tal-Mixta Cave
  • – Ramla Bay
  • – Marsalforn e Salt Pans
  • – Wied il-Għasri 
  • – Wied il-Mielaħ Window
  • – Calypso’s Cave (fechada à visitação)
  • – Jantar no Roza Bistro, na Saint George’s Square

 

Dia 07:

  • – Checkout do hotel em Gozo
  • – Ferryboat de volta à Malta
  • – Visita à Ta’ Qali Craft Village (lojinhas de produtos feitos em Malta)
  • – Almoço no Barracuda (Balluta Bay)
  • – Aeroporto/devolução do carro
  • – Voo de volta à Lisboa

 

Nos próximos posts eu vou dar mais detalhes dos dias do roteiro acima, mas este aqui fica como compilação geral da viagem para referência. Até lá, deixe suas dicas nos comentários, caso já tenha visitado Malta.

Beijocas e até o próximo post!

 

Procurando sugestões de passeios por Portugal?

 

Roteiro Vila Nova de Gaia e Coimbra, com paradas estratégicas (e lindas)

Roteiro em Sintra, pelo centro histórico

Roteiro de um dia em Cascais pelo centro histórico

Lisboa com crianças – 10 passeios imperdíveis com os miúdos

10 lugares para visitar no verão em Portugal

Como é o voo TAP para o Brasil, com crianças

Mercado Medieval de Óbidos

Butchers – Carne de primeira em Lisboa

Estufa fria de Lisboa

L’Éclair Patisserie – Um pouco de Paris em Lisboa

Pastelaria Versailles, um dos cafés mais bonitos de Lisboa

Roteiros, hotéis e passeios no Algarve 

Roteiros, hotéis e passeios no Alentejo

Veja o relato completo do roteiro de Évora ao Porto aqui.

15 razões para visitar Aveiro, a Veneza de Portugal

Colhendo cerejas em Portugal

Procurando onde se hospedar com crianças em Lisboa? Veja aqui nossa dica!

Zoológico de Lisboa – Passeio imperdível com crianças!

Sesimbra – Um bate-volta de Lisboa no melhor estilo BBB – e lindo demais!

Museu do Oriente – Um dos melhores museus de Lisboa

Roteiro pelo Bairro Príncipe Real em Lisboa

Fábrica da Nata – Um dos Cafés mais lindos de Lisboa

Dica de passeio bate-volta desde Lisboa: Visitando Óbidos, a cidade das rainhas

Vá de Lisboa ao Algarve visitando castelos – Um roteiro inesquecível!

Hospede-se em um palácio no Algarve, sem ficar pobre!

Algarve com crianças: Passeando em Faro

Algarve com crianças: um dia em Tavira, a cidade das lendas e do rio de dois nomes

Hotel Vila Galé Évora – Simplesmente inesquecível

Férias em Portugal: 45 dias, 4 alegrias e 1 tristeza

Algarve com crianças: Júpiter Algarve Hotel, a pérola de Portimão

Viajando com crianças? Veja aqui nossas dicas para arrumar as malas

15 dicas para viajar de avião com crianças

 

Pensando em morar em Portugal? Veja aqui nossas dicas quentinhas

 

Comprar carro em Portugal

4 Dicas práticas para quem pensa em vir morar em Portugal

Leia aqui o checklist que fizemos antes de nossa mudança

Checklist depois da mudança – o que você vai ter que fazer assim que chegar lá

Adaptação da família em Portugal

Dicas para alugar apartamento em Cascais

Como abrir conta bancária em Portugal – Nossa experiência com o Activo Bank

Como transferir dinheiro do Brasil para Portugal – Nossa experiência com o TransferWise

SEF – Autorização de Residência e a novela do visto

 Leia aqui como obtivemos o visto D7 para residir em Portugal

Como obter o visto de imigrante empreendedor

Vai dirigir em Portugal? Saiba como trocar sua CNH pela Carta de Condução Portuguesa

Dicas para mobiliar sua casa em Portugal

Supermercados em Portugal

PB4 – O que é e como pedir o seu

Como é o atendimento médico de urgência em Portugal (ou como foi nossa experiência)

Apartamento para alugar na ribeira do Douro no Porto

Como alugar um apartamento pelo Airbnb – Dicas testadas e aprovadas por nós

Como é o atendimento médico de urgência em Portugal (ou como foi nossa experiência)

10 coisas estranhas em Portugal!

Já pensou em alugar apartamento e passar as férias como um local? Aqui ensinamos como nós fazemos!

 

 

Todos os Posts sobre Morar em Portugal, aqui

Todos os posts sobre a Itália, aqui

Todos os posts sobre a Espanha, aqui

Todos os posts sobre a França, aqui

 

Roadtrip por 14 países na Europa, aqui

 

Compartilhe este Post!

Sobre o Autor : Claudia Bins

0 Comentário

Deixe um comentário

Seu e-mail não será exibido.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Content is protected !!